Entenda tudo sobre balanço patrimonial

A empresa que deseja capital de giro, principalmente a curto e médio prazos, precisa estar em dia e ser transparente com a contabilidade do negócio. Sem esse cuidado, é praticamente impossível iniciar estratégias de expansão ou mesmo ter credibilidade diante de instituições financeiras para conseguir crédito. Um dos principais registros necessários para ter essa organização nas contas é o balanço patrimonial.

Sim, você já sabe que esse relatório é uma obrigação segundo a lei para todas as empresas (exceto o MEI). Mas acontece que a maior parte dos empreendedores não sabe como fazê-lo. Por isso, preparamos este post para esclarecer todas as suas dúvidas!

O que é balanço patrimonial?

Balanço patrimonial é um demonstrativo contábil da situação patrimonial dos bens, dos direitos e das obrigações do seu negócio em determinada data. Em outras palavras, é um registro que detalha tudo o que a sua empresa possui, o que tem a receber e as contas a pagar. Isso vai incluir:

  • bens: podem ser tangíveis (instalações, computadores, imóveis, veículos) e intangíveis (marca, patente, licenças de software, direitos autorais, tecnologia);
  • direitos: é o que sua empresa tem, mas está em poder de terceiros, como duplicatas a vencer, vendas parceladas e, aluguel a receber;
  • obrigações: ativos de terceiros que estão nas suas mãos, como o dinheiro a ser pago em financiamentos, empréstimos, compras a prazo, entre outros.

Esses são os três principais elementos que formam o balanço patrimonial. Para que servem essas obrigações? Eles serão a base para você definir qual é o seu patrimônio líquido, item elementar do balanço patrimonial. Entenda como essas informações poderiam ser importantes para a sua tomada de decisão!

Por que é importante?

Os registros desse levantamento são indispensáveis para você avaliar a situação financeira do seu negócio. É possível verificar os investimentos feitos e de onde saem os fundos para isso. Além disso, facilita comparar os gastos com as receitas para entender se as despesas estão altas demais.

O balanço patrimonial difere, portanto, de outros dispositivos usados na administração financeira. Por exemplo, enquanto o fluxo de caixa registra apenas entradas e saídas, o balanço dá uma visão mais ampla com base em dados estatísticos e outros indicadores financeiros. Assim, se os passivos são maiores que os ativos, o negócio está correndo um risco. Como o nome sugere, esse demonstrativo informa se as finanças estão balanceadas, ou seja, em equilíbrio.

Vale ressaltar que não se trata apenas de uma ferramenta de gestão. É também uma obrigatoriedade legal, como já mencionado. Somente um contador inscrito pelo CRC (Conselho Regional de Contabilidade) é o profissional autorizado a fazer esse documento, pelo menos uma vez por ano. É um registro indispensável que compõe o Livro Diário com toda a escrituração contábil da empresa.

Um outro aspecto estratégico na formação de um balanço patrimonial de qualidade é que ele se torna uma importante ferramenta de análise para possíveis investidores. Lembre-se: ao buscar parceiros para injetar recursos no seu negócio, é natural que eles avaliem a saúde financeira da sua empresa. Seu balanço patrimonial se torna o principal instrumento nesse momento.

Por meio desse documento, investidores e parceiros podem avaliar a quantidade de dinheiro em caixa, por exemplo. Altos valores podem significar que a empresa está gerando lucros, ou pode ser que a empresa pediu um empréstimo ou vendeu um ativo imobilizado, e está com esse montante ainda em caixa. Por isso, terceiros poderão avaliar se houve queda no ativo imobilizado ou se as contas a pagar não estão altas.

O balanço patrimonial será uma fonte de dados valiosa para uma avaliação profunda do seu negócio. Então, ele precisa estar em dia, não concorda? Vamos ver como ele precisa estar estruturado.

Quais elementos compõem o documento?

A composição do balanço patrimonial é determinado pela lei 6.404/76. Nela, os principais elementos são o Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido. A diferença entre os ativos e os passivos resultarão em seu Patrimônio Líquido. Esses elementos são divididos em subcategorias, e é importante você entender esses conceitos relacionados aos bens, aos ativos e aos passivos.

Ativos

  • ativo circulante: recursos que a empresa tem disponível para uso imediato, como dinheiro em caixa e no banco, aplicações financeiras de alta liquidez e produtos em estoque;
  • ativo não circulante realizável a longo prazo: empréstimos, títulos a serem recebidos e adiantamentos;
  • ativo não circulante imobilizado: investimentos permanentes usados para a manutenção da empresa, como veículos, instalações, equipamentos (acima de R$ 1.200, com durabilidade superior a um ano, contando ainda com sua depreciação);
  • ativo não circulante intangível: itens não físicos, como patentes, licenças de software, marcas etc.;
  • ativo não circulante (investimentos): aplicações financeiras em outras empresas ou quaisquer investimentos que tragam retorno no futuro.

Passivos

  • passivo circulante: obrigações realizáveis dentro de 1 ano, como empréstimos a pagar, impostos, salários;
  • passivo não circulante: obrigações de longo prazo, superiores a 1 ano.

Como fazer o balanço patrimonial?

Existem no mercado diversas ferramentas que facilitam a elaboração de um balanço patrimonial. Planilhas eletrônicas, por exemplo, são muito úteis para organizar as informações e automatizar os cálculos. Existem, inclusive, muitos modelos prontos na web para baixar e editar. Assim você não precisará de profundos conhecimentos em Excel para criar fórmulas.

Já os softwares especializados são alternativas mais avançadas para reunir as informações, gerar relatórios e evitar divergências e erros. No entanto, um aspecto fundamental é obter o suporte de um contador qualificado. Afinal, ele é o profissional mais recomendado para gerenciar e emitir essas informações.

Viu como o balanço patrimonial não é um bicho de sete cabeças. Após entender os principais conceitos e a estrutura do registro, fica fácil perceber o valor estratégico que essa ferramenta tem. Com ele, você terá uma visão muito mais ampla dos negócios da sua empresa, deixará as finanças em ordem e poderá usar isso para ganhar uma credibilidade maior no mercado.

Outro documento indispensável é a Demonstração do Resultado do Exercício. Para saber mais, leia agora nosso artigo Modelo de DRE: entenda o que é e como usar isso na empresa!

Empreendedor fun dador da Nexoos.Apaixonado por tecnologia e empreendedorismo, especialmente Fintech. Engenheiro de formação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s